Joe Biden sepulta “Neoliberalismo” em discurso à nação

Joe Biden sepulta “Neoliberalismo” em discurso à nação

Joe Biden falou quarta-feira – 28 no tradicional discurso à nação. A fala marcou seus cem primeiros dias de mandato. Diversos temas foram abordados, como o enfrentamento da pandemia, inclusão de “minorias”, geopolítica e imigração. O que mais se destacou na fala de Biden foi o abandono explícito daquelas orientações econômicas que tiveram seu esplendor na era Reagan; as que muitos defendem serem as razões do declínio do “império americano”.

O período que sucedeu a “crise do petróleo” foi o do “pequeno governo”. A redução do papel do Estado e desregulamentação da economia facilitou a vida dos cidadãos mais ricos com o aumento da distância aos mais pobres. As orientações liberais eram hegemônicas e tiveram como arquétipos o governo de Pinochet no Chile e de Margaret Thatcher na Inglaterra. Não por acaso, foi no final da passagem de Reagan pela presidência – 1989, que o Consenso de Washington foi formulado. Um conjunto de medidas incorporadas pelo FMI como orientações à países da América Latina em dificuldades econômicas. A história registrou o processo sob a alcunha de “neoliberalismo”. Tratava-se de rigor fiscal, privatizações de empresas públicas, desregulamentação econômica, livre mercado etc. Foram os períodos amargos de Menem na Argentina e Fernando Henrique Cardoso no Brasil.

Biden retoma a fórmula utilizada por um análogo. Roosevelt precisou enfrentar a crise de 1929. No tempo, foi influenciado por Keynes e pôs em prática ações de recuperação econômica. Entre outras, destacam-se: auxílios sociais, fortalecimento de sindicatos, desvalorização cambial, crédito e investimento em obras públicas. O pacote ficou conhecido como New Deal. Não é necessário ser economista para perceber que as medidas do Consenso de Washington são opostas àquelas do New Deal.  

A história testemunha o papel da intervenção moderada do Estado na pujança e protagonismo da economia estadunidense. Foi a coordenação estratégica do esforço público em eixos definidos – como investimentos na indústria aeroespacial e militar – o impulsionador do desenvolvimento de uma indústria de baixo, médio e elevado nível de sofisticação tecnológica. A fórmula trouxe emprego e renda para a população. Era o “sonho americano”. Também permitiu a liderança dos Estados Unidos no mundo. Não por acaso, foi quando estas políticas passaram a ser abandonadas em favor do paradigma liderado por Reagan, que o país começou a perder seu protagonismo internacional. Protagonismo que Biden deseja recuperar.

Algumas palavras-chave foram sintomáticas na fala de Biden. Estavam lá:  classe média, valor do trabalho, sindicatos, crédito, indústria e emprego. Biden chegou a citar a DARPA – Defense Advanced Research Projects Agency [Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa] – responsável por investimentos em projetos inovadores, de longo prazo e com altíssimo nível de incerteza. A economista Mariana Mazzucato ilustra com maestria como a DARPA e demais agências públicas atuaram no desenvolvimento do processo de inovação da indústria estadunidense. O caso do iPhone é sempre revelador.

Fonte: O estado empreendedor. Mariana Mazzucato.

Os planos de Biden totalizam US$ 6 trilhões. A fonte do dinheiro viria do incremento de receitas. Aumento de impostos progressivos – especialmente os que incidem nos mais ricos e empresas. Há dúvidas se Biden conseguirá formar maioria política para aprovar suas promessas. O império do norte já ficou para trás. A China chegou para ficar; em parceria estratégica com a Rússia, a Eurasia vê nascer a maior economia e o mais moderno complexo militar. Estados Unidos precisarão olhar ao passado para se reinventarem e resgatarem o fio desenvolvimentista que abandonaram. Já deram o primeiro passo. Sepultaram o estelionato teórico responsável pela ruína de muitas nações. O famigerado “neoliberalismo” está morto. Biden apenas jogou a pá de cal.

Via CNN – Brasil.
Total
0
Shares
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados
Total
0
Share